Trabalho contra PL 6204/2019 e em prol de pautas dos servidores do PJU é intensificado no Senado



As direções da Fenassojaf e da Fenajufe estiveram em Brasília ao longo dessa semana para as diversas atividades que integraram a agenda de mobilizações do funcionalismo público. Os dirigentes, acompanhados de caravanas de servidores, se reuniram, nessa terça (31) e quarta-feira (1º), com as lideranças dos partidos no Senado para um trabalho contra o PL 6204/2019, que trata da Desjudicialização da Execução Civil, além das pautas de reivindicações de toda a categoria. PDT, PSDB, PT, MDB, PTB, PL, Podemos, União, PROS, PP e PSC foram visitados pelas comitivas que reafirmaram os prejuízos trazidos à Justiça e ao cidadão com a proposta da desjudicialização, que visa repassar aos tabeliães o trabalho dos Oficiais de Justiça. Na segunda-feira (30), a vice-presidenta da Fenassojaf Mariana Liria e a vice-diretora Kelma Lara se reuniram com a Queiroz Assessoria para traçar o planejamento das ações que seriam efetivadas junto aos parlamentares.

“Nosso foco nas visitas às lideranças foi fazer com que mais partidos se manifestem no sentido de trazer o PL 6204 à tramitação ao menos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), antes da análise em plenário, mas preferencialmente em mais comissões. É imprescindível que o debate em torno da matéria seja ampliado. Estamos falando de uma mudança profunda em todo o sistema de execução brasileiro, que só favorece aos cartórios e prejudica a população, numa verdadeira privatização da justiça pública”, explica Mariana Liria. Na avaliação da vice-presidenta, as atividades ocorridas em Brasília entre 30 de maio e 1º de junho foram intensas e relevantes, e demonstraram a união de todos os servidores nas diversas pautas que envolvem o funcionalismo público. “Foi emocionante contar com colegas de outros segmentos em nosso ato pelo reajuste da Indenização de Transporte no CJF, do mesmo modo que os Oficiais integraram as mobilizações pelo NS para Técnicos, por exemplo. Essa ação unitária demonstra a força da categoria que, realmente, é uma só”, finaliza.

Fonte: Fenassojaf (Caroline P. Colombo)

24 visualizações